Nosso plano de lutas

Uma massa ruidosa de professoras e professores ocupou as ruas de São Paulo na Campanha Salarial de 2018: energia contagiante que a Chapa 1 quer reproduzir nas nossas lutas dos próximos 4 anos

A exposição dos princípios que orientam a formação e o projeto da Chapa 1 adquirem sua feição concreta no nosso plano de ação para o próximo quadriênio. Queremos dar continuidade ao trabalho que o Sindicato dos Professores de São Paulo vem desenvolvendo na defesa e na ampliação dos nossos direitos, sem aventuras mas também sem hesitação nos momentos em que o confronto com os interesses dos donos de escola exigem. Somos um grupo de educadores comprometidos com linhas pedagógicas de diferentes extrações filosóficas, militantes do movimento sindical de diferentes correntes políticas: queremos continuar levando essa diversidade e experiência para o universo de nossa categoria, em defesa de sua dignidade profissional e de seus compromissos sociais.

Nosso plano de lutas está alicerçado em 3 estratégias:

1. defender e ampliar os direitos das professoras e dos professores das escolas particulares de São Paulo; alargar a base de discussão das conquistas já obtidas e das inovações que precisam ser introduzidas na Convenção Coletiva de Trabalho face às inúmeras mudanças surgidas em decorrência de novas formas de organização a escola e de novas formulações de natureza didático-pedagógica que sobrecarregam os docentes, em especial aquelas que emergem da presença das tecnologias digitais no processo ensino-aprendizagem. 

2. A luta por melhores condições de trabalho não é apenas corporativa; ela está diretamente relacionada com o compromisso social do. ofício de educar. Nesse sentido, o compromisso do SINPRO-SP deve continuar oferecendo à categoria que representa instrumentos de qualificação que sejam consequentes com os dois sujeitos fundamentais que atuam no universo da escola: o docente e o discente. Professores e professoras criam, no âmbito da perspectiva coletiva que o sindicato permite e estimula, seus próprios instrumentos de inserção consciente nesse espaço. É com essa perspectiva que a Chapa 1 quer que o sindicato continue sendo referência fundamental nos vários níveis de aperfeiçoamento crítico (e não meramente instrumental) com que nossa categoria trabalha. O princípio é o de que a Educação é uma prática emancipadora e construtora da cidadania; não é um produto que possa ser mensurado apenas pela medida do seu preço, mas de seu valor.

3. Fortalecer o sindicato com base nos princípios da autonomia financeira e administrativa e da independência política. Nossa entidade é o núcleo principal da nossa força coletiva; não é um aparelho burocrático nem biombo de quaisquer grupos políticos. Sua orientação é democrática e dotada de um forte pluralismo identitário em todos os sentidos. É com base nessa convicção radical que os integrantes da Chapa 1 defendem a inserção do SINPRO-SP nos espaços reais e virtuais de atuação de professoras e professores: na cultura, nos projetos educacionais e pedagógicos, na proteção aos direitos conquistados, no apoio frente à pressão dos donos de escola, na presença nos movimentos nacionais e internacionais que reúnem nossa categoria, ao lado de outras entidades congêneres que somam sua força aos nossos objetivos.

 

São Paulo, outubro de 2018

Integrantes da Chapa 1 com a indicação de suas respectivas escolas

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.